sábado, 8 de janeiro de 2011

SOBRE AS DORES DE CADA UM


Gosto tanto dessa passagem de Pequena Epifania por Caio F.
Hoje é dia de escrever sobre ela:
"...um amigo me chamou para ajudá-lo
a cuidar da dor dele.
Guardei a minha no bolso.
E fui."
.
.
.
.
... porque é assim que tem de ser!

Nem sei se é erro ou não esquecer um pouco de mim
ou quase sempre para cuidar dos que amo.
Não sei ver sofrimento,
não sei ver dor,
não sei ver injustiça,
não sei ver tristeza,
não sei ver choro,
não sei ver nada que traga dor intensa...
Mas preciso exercitar a arte
de compartilhar as minhas coisas,
vou guardando,
guardando e
algumas pessoas não compreendem.
Sou esquisita mesmo,
gosto de curtir meus problemas sozinha,
ir até o fundo do poço pra submergir sozinha.
Aprendi com a vida a ser assim (nem sempre fui... ).
Será que está na hora de rever tais conceitos?
E se o que for dor pra mim não for para quem vai ouvir?
Até nisso penso...
"ahh... não vou ficar enchendo ninguém
com minhas coisas porque isso pode até ser ridículo.."
Mas quem sou eu pra mensurar minhas próprias dores ???
E se em algum lugar tiver um amigo de verdade que faça como eu??
Disposto a me ouvir e ter sempre algo de bom que
me faça ver a vida de outra forma =/
Queria um amigo como eu (modesta??)
não! realista...
Mas sabe, no fundo no fundo,
gosto muito de ser assim.
Não sei ser diferente... INdiferente como disse acima.
É bom também ouvir dos outros coisas do tipo:
"Você é um anjo de prontidão!!"
O reconhecimento do que fazemos pelo outro
é bom para o nosso próprio crescimento pessoal.
Me perdoem alguns amigos se falhei
de alguma forma algum dia, não sou de ferro.
Pode ter certeza que quando isso aconteceu,
eu não estava indiferente a sua dor,
eu só estava sentindo uma dor tão grande
que não cabia dentro do meu bolso,
como fazia o grande Caio...
Beijos a todos e bom sábado

Nenhum comentário: